quarta-feira, 17 de outubro de 2018


INVESTIGAÇÃO DA VERDADE NA MAÇONARIA

A expressão “investigação”, normalmente precedida pelas palavras “livre” e “sem limites”, corre risco de declinar seu sentido para atitudes que fogem ao cunho maçônico para a qual foi criada. No mundo profano, de imediato, associamos a palavra “investigação” a questões policiais e a palavra “verdade” como o oposto da mentira, no sendo de desvios.
Diante das informações que nos causam indignação, automaticamente a retransmitimos. Com o dedo em riste e armados com uma espada flamejante, bradamos: “minha honra é ilibada”. Então, nos arvoramos de arauto da verdade, e, com o escudo da liberdade de expressão, julgamos, condenamos, prendemos e executamos arbitrariamente. Assim como Abel, temos mais um Irmão morto.
Hoje, no mundo da tecnologia, com um celular na mão nós nos transformamos em sucursais voluntários das agências de notícias. Cuidado! Os mais afoitos em se auto intitularem agentes maçônicos da “ABIN”, inevitavelmente, acabam por serem “engolidos” pelas notícias falsas (Fake news) e caem em descrédito diante dos Irmãos.
Atualmente, vivemos uma tendência preocupante. Ocupamos nosso corpo e mente mais com as Instituições Maçônicas do que com a própria Maçonaria na sua essência. Observamos mais a conduta do Obreiro do que sua ação como Irmão. Procuramos mais os erros do que os acertos.
Não aprendemos a lição do Livro da Lei, em João, capítulo 8, versículo 31: “E CONHECEREIS A VERDADE, E A VERDADE VOS LIBERTARÁ”. Mas, o que é a verdade? Na nossa fraternidade, a investigação não é uma devassa. Para nós, investigar é estudar, aprofundar e conhecer o propósito de estarmos em nós mesmos.
NA MAÇONARIA, A VERDADE É O CONHECIMENTO, A INSTRUÇÃO, A PROCURA DA SABEDORIA. POR ESTA RAZÃO, O ÚLTIMO DEGRAU ONDE ESTÁ A CADEIRA DO VM É O DEGRAU DA VERDADE. Somos LIVRES para canalizar nossas energias á PROCURA DE INSTRUÇÕES nas múltiplas áreas do conhecimento. Não há LIMITES, quando o propósito é a VERDADE que NOS libertará. Se, ao nosso juízo, nos depararmos com os que não conhecem da verdade, sejamos EDUCADORES e não carrascos.
Este artigo foi inspirado no livro “SIMBOLISMO DO PRIMEIRO GRAU” de autoria do Irmão Rizzardo da Camino. Na página 53, o autor transcreve um dos princípios fundamentais da Maçonaria:
“A Maçonaria não impõe nenhum limite à livre investigação da Verdade e é para garantir a todos essa liberdade que ela exige de todos a maior tolerância.”
Neste décimo segundo ano de compartilhamento de instruções maçônicas, mantemos a intenção primaz de fomentar os Irmãos a desenvolverem o tema tratado e apresentarem Prancha de Arquitetura, enriquecendo o Quarto-de-Hora-de-Estudos das Lojas. Precisamos incentivar os Obreiros da Arte Real ao salutar hábito da leitura como ferramenta de enlevo cultural, moral, ético e de formação maçônico.

IR.·. SÉRGIO QUIRINO

FONTE: JORNAL DO APRENDIZ, PÁGINA 21, Nº 135, 15.10.2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário